Bebê mata cobra venenosa coral a dentadas em Minas Gerais!

EU QUERO É APARECER NA FRENTE DO WORDPRESS!!!!!

TODOS OS BLOGS JA POSTARAM ISSO…. É A NOSSA VEZ!

.

.

Se para muitos a notícia do garoto Gabriel da Silva, de 11 anos, que se defendeu do ataque de um pitbull mordendo o animal, pareceu surpreendente, a história de um garotinho de 9 meses é ainda mais incrível! Com os únicos três dentes que têm, o bebê matou com três mordidas uma cobra coral ‑ considerada por especialistas como uma das mais venenosas existentes no Brasil.

O animal, com cerca de 1 m de comprimento, teria atacado a criança, quando ela brincava no chão de casa, em uma fazenda na zona rural Pedro Leopoldo – MG, na região metropolitana da capital. Como também foi ferido na boca e na mão pela cobra, o bebê precisou ser encaminhado às pressas até um hospital. Ele está internado no Hospital Infantil João Paulo II, em Belo Horizonte, e passa bem. Ontem, a mãe dele, a dona de casa setelagoana Ana Cláudia Barbosa da Silva, de 20 anos, contou que, por pouco o filho não morreu, envenenado.

A médica Solange de Lourdes Silva Magalhães, plantonista setor de toxicologia do HPS João XXIII, a primeira a atender a criança, contou que o menino chegou ao hospital com quadro grave de intoxicação. Segundo a médica, o bebê apresentava secreção na boca e ainda sofreu uma parada respiratória por causa do veneno da cobra.

De acordo com especialistas a serpente foi levada para o laboratório do setor de toxicológico do HPS. Ela disse que o animal já chegou morto e apresentava algumas marcas de mordidas na cabeça o que, possivelmente, foi à causa da morte.

O incidente aconteceu na quinta‑feira da semana passada. O bebê estava brincando com a irmã, de 4 anos, próximo de um fogão de lenha. A mãe estava em outro cômodo da casa quando ouviu os gritos da filha. Quando cheguei, a cobra estava toda enrolada no braço do meu filho e a cabeça entre os dentinhos. “Ele estava rindo e colocava e tirava a cobra da boca como se fosse um brinquedo”, afirmou a mulher, Com o filho no colo, a dona de casa e o marido correram para o hospital.

Os médicos que atenderam o bebê se disseram surpresos com a rápida recuperação do menino, que em dois dias saiu do CTI e está internado no setor de enfemaria. De acordo com o coordenador médico do Centro de Toxicologia do HPS, e presidente da Sociedade Brasileira de Toxicologia, Délio Campolina, o veneno produzido por uma cobra adulta da espécie que atacou a criança tem capacidade de matar até mesmo um boi. A letalidade, nesses casos, depende da quantidade de veneno injetado e da resistência da vítima.

“No caso deste menino, o fato de ele ter sido atendido rapidamente com um tratamento eficiente foi fundamental para que ele sobrevivesse”, explicou o médico.

G1/UOL

Sexo, sexo e mais sexo! A Mente de um Cão Devasso!

meu-banner.jpg

Me mandaram esse video agora, mto engraçado por sinal, e me fez pensar, se o homem nao tivesse “evoluido”, seriamos como os cachorros??? Só de ver outro animal em 4 apoios e gritando feito uma porca parindo teríamos vontade de trepar fazer amor??

Como o Aaraanhaa falou da familia dele ai embaixo, vou falar do meu cachorro. Acho que, pelo que vi aqui em casa, todos os cachorros sao pevertidos, o meu tinha uma almofada que era sexo, sexo e mais sexo, sem intervalo, sem respirar, nem olhar pro lado!! Quase um maniaco da almofada!

Ve o video ai embaixo e tire suas proprias conclusões!

.

funckinturkish-assinatura2.jpg

Teletubbies não é homossexual!

teletubbies1.jpg

A mediadora polonesa para os Direitos do Menor, Ewa Sowinska, excluiu nesta quarta-feira, após ouvir um especialista, que a série de TV infantil Teletubbies fomente a homossexualidade, apesar das suspeitas que tinha.

A mediadora, nomeada pela Câmara Baixa para um mandato de cinco anos, disse anteriormente que suspeitava da homossexualidade de um dos personagens masculinos da série, Tinky Winky, porque ele aparece sempre segurando uma bolsa, um acessório feminino.

“Disseram-me que poderia haver um subentendido homossexual encoberto”, disse Sowinska, que alertou que se este fosse o caso, esta seria uma atitude “inapropriada” sobre a qual seria preciso “agir”.